JORNALISTA FALA SOBRE BASTIDORES DE EVENTOS ESPORTIVOS NO ENCERRAMENTO DA COPA PADRE ALBINO

No último dia 03 de julho foram realizados os jogos finais da Copa Padre Albino de Futebol Society no SESC Catanduva com a disputa entre Inglaterra e Portugal e Colômbia e Uruguai. Antes dos jogos, o jornalista esportivo Marcelo Duarte, fundador da editora Panda Books e apresentador de programas na Rádio Bandeirantes e BandNews FM, bateu papo com os presentes. Marcelo Duarte falou sobre os bastidores das copas do mundo e olimpíadas que cobriu e respondeu a perguntas. Disse que esses eventos ensinam muito, pois o contato com diferentes culturas “sempre nos leva ao conhecimento”. Falou do seu espanto com o contraste entre riqueza e pobreza na África do Sul, sendo até aconselhado a não entrar num shopping no bairro negro. Por fim, disse que tem certeza que o Brasil irá ganhar a Copa da Rússia, pois em todas as competições que cobriu a seleção brasileira não foi campeã. Na disputa pelo título da Copa Padre Albino, a Colômbia sagrou-se campeã vencendo o Uruguai; a Inglaterra ficou em 3º e Portugal em 4º. O Prof. Igor Braz, coordenador do curso de Educação Física Bacharelado da UNIFIPA e responsável pelo evento, agradecendo a parceria do SESC, disse que o objetivo de promover a confraternização através do futebol, celebrando os 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva foi plenamente alcançado. O atleta Victor Fornazieri, da equipe Uruguai, parabenizou “pela organização perfeita do campeonato” e, pedindo para ser informado, disse que pretende participar de outros que forem realizados. A Copa foi iniciada no dia 05 de junho e teve a participação de onze equipes representando países classificados para a Copa do Mundo da Rússia.
Fundação Padre Albino
Publicado em 04/07/2018 por Mauro Assi

JORNALISTA ESPORTIVO PARTICIPA DO ENCERRAMENTO DA COPA PADRE ALBINO NO SESC

Nesta terça-feira (03) serão realizados os jogos finais da Copa Padre Albino de Futebol Society no SESC de Catanduva, a partir das 18h30. Iniciada no dia 05 de junho, onze times participaram da Copa, representando países classificados para a Copa do Mundo da Rússia, divididos em dois grupos. Antes dos jogos que definem o 3º e 4º colocados, o campeão e o vice-campeão, o jornalista esportivo Marcelo Duarte, formado pela Escola de Comunicações e Artes da USP e fundador da editora Panda Books, participará de um bate papo sobre histórias do futebol. Marcelo é conhecido pela série de livros “O Guia dos Curiosos”, que começou a ser lançado em 1995 e que já tem nove diferentes volumes. Apresenta os programas "Você é curioso?" (desde 2001) e "Manhã Bandeirantes" (desde 2015), na Rádio Bandeirantes, e o "É Brasil que não acaba mais" (desde 2008) na BandNews FM. Foi premiado em 2006 com o Prêmio APCA na categoria rádio. Trabalhou nas revistas Placar, Playboy e Veja S. Paulo, todas da Editora Abril, entre 1984 e 1998. Trabalhou na ESPN Brasil, onde apresentou programas como “Loucos por Futebol”, entre 2002 e 2015. Cobriu três Copas do Mundo, cinco Olimpíadas e dois Panamericanos. Trabalhou nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, quando apresentou o quadro "Pequim de A a Z", com curiosidades sobre Pequim e os Jogos Olímpicos. Escrevia todas as semanas a página "Curiocidade", no Jornal da Tarde, entre 2002 e 2012. O Prof. Igor Braz, coordenador do curso de Educação Física da UNIFIPA e responsável pela organização da Copa, disse que “o objetivo foi proporcionar momentos de confraternização através do futebol e ao mesmo tempo celebrar os 100 anos da chegada de Padre Albino na cidade”. A Copa, parceria com o SESC Catanduva, faz parte das comemorações promovidas pela Fundação Padre Albino pelos 100 anos da chegada de Padre Albino na cidade. A entrada é gratuita.
Fundação Padre Albino
Publicado em 02/07/2018 por Mauro Assi

20 ESCOLAS PARTICIPAM DO CONCURSO DE REDAÇÃO SOBRE PADRE ALBINO

Terminou no último dia 29 de junho o prazo para as escolas entregarem as redações do quarto concurso promovido pelo Colégio Catanduva. Neste ano, com o tema “Pequenos gestos, grandes ações”, os alunos receberam a missão de resgatar a memória de Padre Albino com ênfase em seus ideais de caridade e promoção social, que perduram até hoje. O concurso é mais uma das atividades desenvolvidas em comemoração aos 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva. Além do estímulo à leitura e produção de texto, o concurso tem como propósito incentivar a pesquisa sobre a vida e obra do Monsenhor, promovendo o exercício da cidadania. Ao todo, 20 escolas estaduais e particulares se inscreveram no concurso, desenvolvendo em sala de aula discussões e pesquisas acerca da bibliografia de Padre Albino. Durante o período da produção de texto os alunos visitaram o Museu Padre Albino, explorando a história e colocando em prática o conhecimento adquirido. “Promover uma educação participativa, onde os alunos possam aprender e ao mesmo tempo se divertir, é de extrema importância. Esse aperfeiçoamento dos métodos de ensino vem trazendo grandes resultados e o concurso promovido pela Fundação Padre Albino veio corroborar como essa tendência”, salienta a Profª Tânia Mazinini Pimentel, diretora do Colégio Catanduva. A premiação da redação selecionada de cada estabelecimento de ensino será realizada durante a Semana Monsenhor Albino, no dia 19 de setembro próximo, às 19h30, no Anfiteatro Padre Albino, situado na Rua 13 de maio, 1064, centro, em Catanduva. Além de receberem a premiação de 100 reais para as redações classificadas, os alunos presentes ao evento concorrerão ao sorteio de uma bicicleta. Para consultar o calendário completo das atividades comemorativas dos 100 anos da chegada de Padre Albino em Catanduva basta acessar o site http://fundacaopadrealbino.org.br/100anos Foto: Dr. Amarante com o aluno ganhador da bicicleta no sorteio.
Colégio Catanduva
Publicado em 02/07/2018 por Mauro Assi

EXPOSIÇÃO DE FOTOS DE PADRE ALBINO CHEGA AO “EMÍLIO CARLOS”

A exposição fotográfica itinerante “A vida e obra de Padre Albino” chegou nesta quarta-feira (27) ao Hospital Emílio Carlos, onde fica até meados do mês de julho. Ela foi aberta na Pinacoteca Municipal João Nasser e já passou pelo Ambulatório Médico de Especialidades/AME Catanduva, sob gestão da Fundação Padre Albino. Organizada pelo Museu Padre Albino, a exposição tem sete painéis frente e verso e reúne 123 fotos desde a chegada de Padre Albino a Catanduva até sua morte, em 1973, e faz parte da programação comemorativa do centenário da chegada de Padre Albino à cidade. A exposição ainda vai percorrer outros departamentos mantidos pela Fundação Padre Albino e órgãos da Prefeitura Municipal.
Fundação Padre Albino
Publicado em 27/06/2018 por Mauro Assi

FUNDAÇÃO E PREFEITURA REALIZAM AÇÃO NO NOVA CATANDUVA

A Prefeitura do município e a Fundação Padre Albino realizaram na manhã do dia 23 de junho, na EMEIF Profª Luzia Ap. Sestito Gradella, no “Nova Catanduva”, a atividade “Ação nos bairros: Fundação Padre Albino e Prefeitura de Catanduva comemorando os 100 anos com a população”. Contando com o apoio da direção da escola, que através de pais de alunos mobilizou os moradores do bairro, Departamentos da Fundação e secretarias do município orientaram, atenderam e ofereceram atividades esportivas e de lazer das 9h00 às 12h00. A Ação obteve pleno sucesso. O AME Catanduva orientou sobre o não comparecimento a consultas e exames e o curso de Administração sobre orçamento doméstico. As orientações na área da saúde ficaram com os cursos de Biomedicina, com tipagem sanguínea e teste de glicemia, e Enfermagem, com aferição de pressão arterial e glicemia capilar e orientações de hábitos saudáveis para prevenção de hipertensão arterial, diabetes e obesidade, e o Padre Albino Saúde, com teste de acuidade visual e avaliação com nutricionista, além de atividades comslackline e bexigas.A Secretaria Municipal de Saúde instalou um posto de vacinação contra Influenza e a Secretaria Municipal de Assistência Social fez atendimento com equipe do CRAS. Os cursos de Educação Física (Bacharelado e Licenciatura) fizeram avaliação física de percentual de gordura, índice de massa corporal (IMC), relação cintura-quadril, flexibilidade e análise postural. Os hospitais Padre Albino e Emílio Carlos abordaram a prevenção. O “Emílio Carlos” montou uma estação de simulação das condições de um idoso com colchão para as pessoas,com andador e óculos com lentes grossas, que dificultam a visão, caminharem sobre ele, simulando a sensação de um idoso ao caminhar com dificuldade. O curso de Medicina levou a campanha Velho Amigo: apoio a idosos e o “Padre Albino” orientou como cuidar de pessoas acamadas para a prevenção de feridas. O curso de Direito informou sobre os atuais direitos LGBT e o curso de Pedagogia realizou ações com as crianças através de desenho e pintura, do livro gigante, tapete de histórias e livros infantis e música e instrumentos para atividades circulares. Em área externa da escola, a Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Turismo fez pintura de rosto e escultura em balões; a Secretaria do Meio Ambiente doou 70 mudas de árvores frutíferas e outras e orientou a população com relação a descarte de lixo e preservação do meio ambiente e a Secretaria de Cultura fez oficina em feltro ou EVA. A diretora da escola, Profª Edilene Geromel, classificou a Ação como muito significativa para o bairro. “A nossa comunidade precisa desses momentos de atenção e carinho”, disse.A próxima Ação nos bairros será no mês de agosto em local a ser definido pela Prefeitura Municipal.
Fundação Padre Albino
Publicado em 25/06/2018 por Mauro Assi

FUNDAÇÃO PROMOVE SHOW COM EDSON E HUDSON PRÓ HCC EM AGOSTO

Evento é gratuito para funcionários da entidade; mesas e ingressos estão à venda. A Fundação Padre Albino realiza dia 03 de agosto próximo, às 23h00, no Clube de Tênis Catanduva, show com a dupla Edson e Hudson em benefício do Hospital de Câncer de Catanduva/HCC. O evento, que faz parte da programação dos 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva, é um presente da entidade para seus funcionários, que não pagarão ingresso. Os acompanhantes dos funcionários e o público externo pagam R$ 50,00 pelo ingresso na pista e também haverá mesas para quatro pessoas, com direito a mesa de frios e jantar, bebida à parte e rolha livre. As mesas custam R$ 1.500,00; R$ 1.200,00 e R$ 1.000,00 e podem ser reservadas no Setor de Captação de Recursos da Fundação, fone 3311-3365, onde são vendidos os ingressos, também encontrados na Drogaria Central da Rua Brasil, 1910. Antes do show, às 21h00, a Fundação Padre Albino vai homenagear 100 funcionários com a “medalha dos 100 anos”. O show tem o apoio de Fernando Pereira Produções, Ondas Verdes, Band FM, Rede Central e Padre Albino Saúde. A dupla Nascidos e criados em família circense, os irmãos Cadorini tiveram grande apoio do pai, o palhaço e acrobata Beijinho, que percebeu o carisma e o talento dos filhos ainda quando crianças. Incentivados pela família, começaram a cantar desde muito novos. Inicialmente, utilizavam os pseudônimos de Pepi e Pupi e apresentavam-se em praças públicas, bares, rodeios, bailes e em circos. Acostumados desde cedo aos espetáculos e à estrada, logo adquiriram a experiência necessária para mostrar o potencial que tinham para a música. Em 1991, já como Edson & Hudson, passaram pelo show de calouros de Raul Gil, onde tiveram a grande oportunidade de serem vistos e ouvidos pelo grande público. A voz poderosa e afinada de Edson unida aos riffs de rock da guitarra de Hudson (na época nada usuais na música sertaneja) chamou logo a atenção do público e dos formadores de opinião. Essa mistura acabou se tornando o grande diferencial da dupla e marcou um estilo que revolucionou o mercado sertanejo, atraindo e influenciando uma nova geração de seguidores e artistas. Outro fato importante que ajudou a alavancar ainda mais a popularidade da dupla foi a explosão do mega hit “Azul” nas principais rádios do Brasil. Entre 1995 e 2009, os irmãos lançaram dezessete álbuns, entre CDs e DVDs de carreira e compilações, contabilizando a venda de mais de 1 milhão de discos. Também neste período, Edson & Hudson passou a figurar como atração principal dos maiores eventos de música sertaneja e rodeios, como Barretos, Jaguariúna, Americana, Osasco, entre outros, batendo consecutivamente o recorde de público de cada festa, e lançou diversos hits, como Galera Coração, Foi Deus, É Amor Demais, Fala, Guarda-Roupa Vazio, Escândalo de Amor, entre muitas outras. Em 2014 a dupla lança o CD “De Edson Para Hudson” pela gravadora Radar e em 2015 assinou contrato com a Universal Music Brasil, trazendo muitas novidades para o público, como o lançamento de um novo CD. A música “Nosso contrato”, lançada recentemente, é o grande sucesso da dupla. Foto: Edson e Hudson
Fundação Padre Albino
Publicado em 22/06/2018 por Mauro Assi

FUNDAÇÃO COMEÇA A RECEBER MOSAICOS DO SELO DO CENTENÁRIO DA CHEGADA DE PE. ALBINO

A Fundação Padre Albino já recebeu dois mosaicos de artistas mosaicistas inscritos no Projeto “100 anos de amor”, que faz parte da programação dos 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva. Os trabalhos são de Flávia Marega Frigério, curadora do projeto, e de Maria de Lourdes Caetano Trevisan. A coordenação da Comissão dos 100 anos informou que 20 mosaicistas já se inscreveram no projeto. São artistas de Catanduva, Chapada dos Guimarães, Itumbiara, Guarujá e Marapoama. Todas as informações para participação no projeto, inclusive a ficha de inscrição e os dois modelos, estão disponíveis no sitewww.fundacaopadrealbino.org.br/100anosProjetos (Projeto Mosaico). As inscrições irão até 31/07/2018. O objetivo do projeto é formar acervo de peças de mosaicos do selo comemorativo do centenário da chegada de Padre Albino a Catanduva e promover a interação dos artistas à obra de Padre Albino, cumprindo seu papel de preservar a memória de seu instituidor e divulgar sua obra. As peças serão distribuídas nos Departamentos mantidos pela Fundação Padre Albino e terão o nome, cidade e Estado do mosaicista doador e este receberá um certificado de participação. Foto à esquerda - Trabalho de Flávia Marega Frigério Foto à direita - Trabalho de Lourdinha Trevisan
Fundação Padre Albino
Publicado em 15/06/2018 por Mauro Assi

AME CATANDUVA EXPÕE FOTOS DE PADRE ALBINO

Depois da Pinacoteca Municipal João Nasser, o Ambulatório Médico de Especialidades/AME Catanduva, sob gestão da Fundação Padre Albino, sedia a exposição fotográfica “A vida e obra de Padre Albino”, organizada pelo Museu Padre Albino. Com sete painéis frente e verso, a exposição reúne 123 fotos desde a chegada de Padre Albino a Catanduva até sua morte, em 1973, e faz parte da programação comemorativa do centenário da chegada de Padre Albino à cidade. A exposição ficará no AME Catanduva até o dia 22 próximo e pode ser vista das 7h00 às 19h00 de segunda a sexta-feira.
Fundação Padre Albino
Publicado em 12/06/2018 por Mauro Assi

NAS PAREDES

Os 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva estão marcados nas paredes de todos os Departamentos da Fundação, através de adesivagem com imagem do selo comemorativo; no Recanto Monsenhor Albino foi instalado um painel externo. Nas fotos, as paredes da UNIFIPA Câmpus Sede e Câmpus São Francisco, Hospital Padre Albino, Padre Albino Saúde, Hospital Emílio Carlos, Coordenadoria Geral da Fundação e Colégio Catanduva e o painel do Recanto.
Fundação Padre Albino
Publicado em 08/06/2018 por Mauro Assi

COPA PADRE ALBINO COMEÇA COM MUITOS GOLS

A Copa Padre Albino de Futebol Society foi iniciada dia 05 de junho no SESC Catanduva com muitos gols nos seus três primeiros jogos: Alemanha 22 x Inglaterra 03; Colômbia 06 x Argentina 04 e Bélgica 01 x Portugal 08. Onze 11 times estão inscritos na Copa e as equipes representam países classificados para a Copa do Mundo da Rússia, entre eles Alemanha, Inglaterra, Colômbia, Argentina, Japão, Islândia, Bélgica, Portugal, Espanha, França e Uruguai, divididos em dois grupos. A final será no dia 03 de julho, com o primeiro jogo, às 20h00, entre os segundos colocados dos grupos; os primeiros colocados se enfrentam às 21h00 decidindo a equipe campeã da Copa. O SESC Catanduva é parceiro da Fundação Padre Albino nesta atividade que faz parte da programação dos 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva. Nas fotos abaixo, o primeiro dia dos jogos.
Fundação Padre Albino
Publicado em 07/06/2018 por Mauro Assi

PINACOTECA MUNICIPAL EXPÕE FOTOS DE PADRE ALBINO ATÉ SEXTA-FEIRA

A Pinacoteca Municipal João Nasser sedia até esta sexta-feira a exposição fotográfica “A vida e obra de Padre Albino”, organizada pelo Museu Padre Albino em parceria com a Prefeitura de Catanduva, através da Secretaria de Cultura. A exposição faz parte da programação comemorativa dos centenários de Catanduva e da chegada de Padre Albino à cidade. Com sete painéis frente e verso, a exposição reúne 123 fotos desde a chegada de Padre Albino a Catanduva até sua morte, em 1973. A Pinacoteca (o antigo “Castelinho”) fica na Praça da Independência, 92, Higienópolis, e funciona das 8h00 às 12h00 e das 13h00 às 17h00, mas também são aceitos agendamentos em horários especiais. A entrada é franca. Informações pelo telefone (17) 3522-4815. Foto: Banner convida a população para visitar a exposição.
Fundação Padre Albino
Publicado em 05/06/2018 por Mauro Assi

100 ANOS - COPA PADRE ALBINO COMEÇA NESTA TERÇA NO SESC

A Copa Padre Albino de Futebol Society será iniciada nesta terça-feira (05) no SESC Catanduva, a partir das 18h30. O evento faz parte da programação dos 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva. De acordo com o coordenador do curso de Educação Física/Bacharelado da UNIFIPA, Prof. Igor Braz, organizador da Copa, estão inscritos 11 times, com 12 jogadores cada, totalizando 132 jogadores. As equipes representam países classificados para a Copa do Mundo da Rússia. No Grupo 01 estão Alemanha, Inglaterra, Colômbia, Argentina, Japão e Islândia. No Grupo 02, Bélgica, Portugal, Espanha, França e Uruguai. A rodada desta terça-feira terá três jogos: 18h30, Alemanha x Inglaterra; 19h30, Colômbia x Argentina, e 20h30, Bélgica x Portugal. As outras rodadas serão realizadas nos dias 12, 14, 19, 21, 26 e 30 de junho. A final será no dia 03 de julho, com o primeiro jogo, às 20h00, entre os segundos colocados dos grupos; os primeiros colocados se enfrentam às 21h00 decidindo a equipe campeã da Copa. O SESC Catanduva é parceiro da Fundação Padre Albino nesta atividade dos 100 anos. Foto: 11 equipes disputam a Copa Padre Albino de Futebol.
Fundação Padre Albino
Publicado em 04/06/2018 por Mauro Assi

MISSA QUE ABRIU AS COMEMORAÇÕES DO CENTENÁRIO DA CHEGADA DE PADRE ALBINO ESTÁ NO SITE

A gravação, na íntegra, da missa que abriu a programação comemorativa dos 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva celebrada no último dia 28 de abril na Igreja Matriz de São Domingos está no site www.fundacaopadrealbino.org.br/100anos A pessoa interessada, ao entrar no site, deve colocar o mouse em “Programação” e clicar em “Missa de abertura”. Celebrada pelo Bispo da Diocese, D. Otacílio Luziano da Silva, a missa contou com a participação do coral “Vozes da Pedagogia”, do curso de Pedagogia da UNIFIPA. Ao final da missa os participantes ganharam uma lembrança do centenário.
100 Anos Padre Albino
Publicado em 16/05/2018 por Mauro Assi

ESTREIA DA PEÇA SOBRE PADRE ALBINO LOTA O SESC E EMOCIONA A PLATEIA

A estreia da peça"Padre Albino: legado para uma cidade” no último dia 11 de maio lotou o ginásio de esportes do SESC Catanduva e emocionou a plateia.A peçanarrou, de forma poética e delicada, a trajetória de Albino Alves da Cunha e Silva, o Monsenhor Albino, desde os primeiros tempos em Portugal até sua chegada em Catanduva, onde edificou suas obras e deixou sua marca de realizações e ações de bondade. Através de uma viagem no tempo, Monsenhor Albino relembrou sua mocidade, a missão religiosa, a luta pelos pobres e sofredores, em momentos de emoção e profundidade. Padre Synval Januário disse que a interpretação foi perfeita e que ficou impressionado com a semelhança física do ator Carlinhos Rodrigues com Padre Albino. “Gostei demais; vi Padre Albino no palco e fiquei tocado; parecia que estava diante dele”, afirmou. E completou: “A peça aumentou em mim o amor ao Padre Albino”. A funcionária do Hospital Padre Albino Giseli Sanchez foi assistir a peça com a família. “Amei a peça; linda demais; muita emoção na apresentação”. Ela também citou a semelhança do ator com Padre Albino: “o andar dele, o jeito; perfeito”, disse. O ator Carlinhos Rodrigues, que interpretou Padre Albino, disse que "considerando toda a carga emocional que envolve uma estreia, principalmente em se tratando de um espetáculo teatral sobre um personagem tão único e importante para nossa cidade, foi tudo maravilhoso”. Para ele, a Cia da Casa Amarela atingiu seu principal objetivo, “sensibilizar a plateia ao revelar detalhes tão específicos da vida de Padre Albino e mostrar os atos de um homem bom, que exemplificou a prática do amor ao próximo e sua dedicação aos menos favorecidos, aos pobres e sofredores. A emoção foi grande, intensa”. Carlinhos contou que ficou muito emocionado antes de entrar em cena, sentindo a importância e o peso da responsabilidade. “A emoção foi constante durante muitos momentos da apresentação. Nos meus trinta e cinco anos de teatro, vivendo tantos personagens marcantes, como Cândido Portinari, Vincent Van Gogh, Santos Dumont, Federico García Lorca, entre outros que me renderam muitos prêmios de interpretação, raras vezes emocionei-me dessa forma. Foi uma das mais belas experiências de vida como ser humano e artista”, resumiu. O ator salientou que ouviu comentários das pessoas que conheceram Padre Albino em vida, o que também o emocionaram e deixaram uma profunda sensação de realização pessoal. “Vivenciar Padre Albino no palco foi extremamente gratificante e inesquecível”, afirmou. Ele citou o grupo de atores, que abraçou o projeto e se dedicou nos ensaios e produção da peça, e o SESC Catanduva, que também foi fundamental, através de toda sua equipe, para que tudo acontecesse de forma plena. A atriz Drika Vieira falou da sua alegria em participar desse momento tão importante para Catanduva. “Uma responsabilidade também, mas estamos confiantes de que o trabalho realizado irá passar às plateias futuras conhecimentos e momentos de emoção". Este foi o 23º espetáculo da Cia da Casa Amarela. A montagem, que tem dramaturgia e direção de Drika Vieira e Carlinhos Rodrigues, foi baseada no livro “Monsenhor Albino Alves da Cunha e Silva – Apóstolo da Caridade”, de Monsenhor Victor Rodrigues de Assis e Pe. Synval Januário (apêndice). Em função da reforma do teatro municipal de Catanduva ainda não foram programadas novas apresentações do espetáculo. A Fundação Padre Albino e a Cia da Casa Amarela estão procurando locais adequados na cidade e tão logo encontrados dará sequência às apresentações. Foto: Câmara Municipal de Catanduva
Fundação Padre Albino
Publicado em 14/05/2018 por Mauro Assi

PINACOTECA MUNICIPAL EXPÕE FOTOS DE PADRE ALBINO ATÉ JUNHO

Na noite do último dia 10 de maio foi aberta oficialmente, na Pinacoteca Municipal João Nasser, a exposição fotográfica “A vida e obra de Padre Albino”, organizada pelo Museu Padre Albino em parceria com a Prefeitura de Catanduva, através da Secretaria de Cultura. A exposição faz parte da programação comemorativa dos centenários de Catanduva e da chegada de Padre Albino à cidade. Na abertura, que contou com a participação do duo de cordas da Orquestra Escola de Catanduva, o Prof. Nelson Lopes Martins, representando o presidente da Diretoria Administrativa da Fundação, Dr. José Carlos Rodrigues Amarante, lembrou que Padre Albino chegou a Catanduva, uma cidade que não tinha nada, mas resolveu fazer, através da liderança que exerceu e com o apoio que recebeu de muitos. Pe. Synval Januário, coroinha de Padre Albino, contou que pesquisou sobre a vida religiosa dele, constatando ter sido uma pessoa muito aberta, amigo de outras igrejas, citando como exemplo o Sr. Benedito Zancaner. O vereador Cidimar Porto disse que a cidade reflete Padre Albino. “A maior exposição de Padre Albino é a cidade”, completou. Com sete painéis frente e verso, a exposição reúne 123 fotos desde a chegada de Padre Albino a Catanduva até sua morte, em 1973. A exposição se estende até 10 de junho próximo e a entrada é gratuita. A Pinacoteca (o antigo “Castelinho”) fica na Praça da Independência, 92, Higienópolis, e funciona das 8h00 às 12h00 e das 13h00 às 17h00, mas também são aceitos agendamentos em horários especiais. A entrada é franca. Informações pelo telefone (17) 3522-4815.
Fundação Padre Albino
Publicado em 11/05/2018 por Mauro Assi

100 ANOS DA CHEGADA DE PE. ALBINO: SEMANA TEM EXPOSIÇÃO DE FOTOS E ESTREIA DE PEÇA DE TEATRO

A programação dos 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva tem duas atividades culturais nesta semana: abertura de exposição de fotos e a estreia da peça de teatro sobre a vida dele. A exposição fotográfica “A vida e obra de Padre Albino”, organizada pelo Museu Padre Albino em parceria com a Prefeitura de Catanduva, através da Secretaria de Cultura, será aberta nesta quinta-feira, 10 de maio, às 20h00, na Pinacoteca Municipal João Nasser. Com sete painéis frente e verso, a exposição reúne 123 fotos desde a chegada de Padre Albino a Catanduva até sua morte, em 1973. Entre as fotos, uma da década de 1930, por ocasião de visita a outros sacerdotes; de janeiro de 1951, logo após ser agraciado com a medalha de Honra ao Mérito pela Standard Oil Company of Brazil, em programa realizado na Rádio Tupi de São Paulo, pelas incontáveis realizações de benemerência realizadas em Catanduva e de 1971, na Casa da Criança Sinharinha Netto, quando da inauguração de seu parque infantil. A exposição se estende até 10 de junho próximo e a entrada é gratuita. A Pinacoteca (o antigo “Castelinho”) fica na Praça da Independência, 92, Higienópolis. Peça teatral Na sexta-feira (10), no SESC Catanduva, acontece a estreia da peça "Padre Albino: legado para uma cidade”, texto de Drika Vieira e Carlinhos Rodrigues, da Cia da Casa Amarela, de Catanduva, baseado no livro “Monsenhor Albino Alves da Cunha e Silva – Apóstolo da Caridade”, de Monsenhor Victor Rodrigues de Assis e Pe. Synval Januário (apêndice). A peça narra, de forma poética e delicada, a trajetória de Albino Alves da Cunha e Silva, o Monsenhor Albino, desde os primeiros tempos em Portugal até sua chegada em Catanduva, onde edificou suas obras e deixou sua marca de realizações e ações de bondade. Através de uma viagem no tempo, Monsenhor Albino relembra seus dias de moço, a missão religiosa, a luta pelos pobres e sofredores, em momentos de emoção e profundidade. Em função da reforma do teatro municipal de Catanduva ainda não foram programadas novas apresentações do espetáculo. A Fundação Padre Albino e a Cia da Casa Amarela estão procurando locais adequados na cidade e tão logo encontrados dará sequência às apresentações. Sinopse Nome da peça: Padre Albino: legado para uma cidade. Dramaturgia e direção: Drika Vieira e Carlinhos Rodrigues Elenco: Carlinhos Rodrigues, Drika Vieira, Cibele Sampaio, Kéka Faria e Carlos Caetano Preparação corporal e coreografia: André Perosa Cenografia e figurinos: Drika Vieira e Carlinhos Rodrigues Sonoplastia e iluminação: Carlinhos Rodrigues Operação de som e luz: Jone Vieira Técnico de gravação: Nélson Costa Júnior Produção de vídeo: Cia da Casa Amarela Produção executiva: Drika Vieira Produção de arte: Carlinhos Rodrigues Os ingressos, limitados, já podem ser retirados na Central de Atendimento do SESC Catanduva. Na foto abaixo, o cartaz da peça.
Fundação Padre Albino
Publicado em 08/05/2018 por Mauro Assi

SELO COMEMORATIVO DO CENTENÁRIO DA CHEGADA DE PE. ALBINO A CATANDUVA PODE SER TRANSFORMADO EM MOSAICO

A Fundação Padre Albino abriu chamamento para participação pública de artistas mosaicistas e interessados em geral para participarem do projeto “100 anos de amor”. O objetivo é formar acervo do selo comemorativo do centenário da chegada de Padre Albino a Catanduva, formado por peças de mosaicos, conforme modelos, e promover a interação dos artistas à obra de Padre Albino, cumprindo seu papel de preservar a memória de seu instituidor e divulgar sua obra. Todas as informações para participação no projeto, inclusive a ficha de inscrição, estão disponíveis no sitewww.fundacaopadrealbino.org.br/100anos(Projeto Mosaico). As inscrições irão de 07/05/2018 a 31/07/2018. Cada voluntário doador poderá enviar quantas peças de mosaico quiser, atendendo as especificações contidas no chamamento, pois há dois modelos para escolha:busto do Padre Albinoeprédio. Os dois modelos de mosaico serão unidos em quadro único, completando o selo comemorativo dos 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva e a instalação será feita pela Fundação Padre Albino, sob orientação, coordenação e supervisão da curadora do projeto, a mosaicista Flávia Marega Frigério. As peças serão distribuídas nos Departamentos mantidos pela Fundação Padre Albino: Coordenadoria Geral; Hospital Padre Albino; Hospital Emílio Carlos/Hospital de Câncer de Catanduva; Centro Universitário Padre Albino (cursos de Administração, Agronomia, Biomedicina, Direito, Educação Física – Bacharelado, Educação Física – Licenciatura; Enfermagem; Medicina, Pedagogia); Colégio Catanduva, Recanto Monsenhor Albino e Museu Padre Albino. As peças terão o nome, cidade e Estado do mosaicista doador e este receberá um certificado de participação. Abaixo, o selo comemorativo.
Fundação Padre Albino
Publicado em 04/05/2018 por Mauro Assi

EMOÇÃO E ENCANTAMENTO NA MISSA QUE ABRIU AS COMEMORAÇÕES DO CENTENÁRIO DA CHEGADA DE PADRE ALBINO

Emoção e encantamento foram dois sentimentos que marcaram a missa que abriu a programação comemorativa dos 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva no último dia 28 de abril na Igreja Matriz de São Domingos. Celebrada pelo Bispo da Diocese, D. Otacílio Luziano da Silva, a missa contou com a participação dos padres das paróquias de Catanduva e região e do coral “Vozes da Pedagogia”, do curso de Pedagogia da UNIFIPA, composto por 26 pessoas (13 alunos do 2º ano e 13 professores), com regência de Angélica Amêndola de Oliveira Silva e de César Augusto da Silva ao teclado. O coral encantou a todos os que assistiram a missa. Um bolo de seis andares, com imagens de ações de Padre Albino, colocado no corredor central da Matriz durante a missa, está agora ao lado do sarcófago dele, onde ficará por um mês e depois será levado ao Museu Padre Albino. Ao final da missa os participantes ganharam uma lembrança do centenário. Antes da bênção final, D. Otacílio passou a palavra ao presidente da Diretoria Administrativa da Fundação Padre Albino, Dr. José Carlos Rodrigues Amarante, que agradeceu a todos os que ajudaram a viabilizar aquela missa e destacou a brilhante apresentação do coral do curso de Pedagogia da UNIFIPA. Amarante disse que “nada melhor do que celebrar uma Santa Missa no templo construído pelo próprio homenageado e onde atuou até o fim de sua vida”. Para ele, o valor de uma missa para os católicos é inestimável. “Todavia, por mais que homenageemos Padre Albino, talvez ainda não seja suficiente para agradecer por tudo o que ele fez por Catanduva e região”. E continuou: “Pela nossa fé cristã podemos até afirmar que Padre Albino não morreu. Apenas que seu corpo se consumiu pelo próprio curso da natureza; porém, seu espírito vive pulsante nas obras que realizou em vida e que ainda continuam a existir”. Lembrou que os restos mortais de Padre Albino jazem no sarcófago, naquela igreja, aguardando pelas promessas divinas. “Suas obras, porém, continuam vivas na vida, na mente e no coração de todos nós. Remanescem também na razão de ser e de existir das instituições que criou”, salientou. Para o presidente da Fundação, “as singelas homenagens que vamos prestar ao longo deste ano com certeza não serão suficientes para agradecer Padre Albino. Porém, humilde como era, talvez ainda achasse exagero. Grande homem, grande alma, inigualável benfeitor. 100 anos é um longo tempo; porém seu amor ao próximo continua produzindo frutos através das obras que deixou como legado a todos nós, como prova de que só o amor constrói”. Por fim, Amarante afirmou que o exemplo de força e coragem de Padre Albino “nos impulsiona a preservá-las em seus valores e finalidades”. E convidou a todos para participarem das homenagens que serão prestadas a Padre Albino ao longo de todo ano. Uma das pessoas que se emocionou muito durante a missa foi Vera Helena Milan Leão, secretária de Padre Albino por seis anos, até sua morte. Disse que são muitas lembranças que vêm à tona. Lembrou-se de muitas passagens pessoais, do cuidado de Padre Albino para com ela. “Tive também momentos de estresse; chorei no trabalho algumas vezes; ele também era enérgico”, ressaltou. Vera disse agradecer a Deus por ter tido o privilégio de estar ao lado de Padre Albino, trabalhando durante os seus últimos seis anos de vida. “Por ter vivenciado tão de perto o seu jeito de ser, de agir, de trabalhar, sempre em benefício do próximo. Vivenciei sua dedicação e determinação para atingir seus objetivos. Foram muitas batalhas, muitas incompreensões, mas muitas conquistas nos últimos anos de sua vida. Um trabalho incessante e sem trégua. Um grande homem. Só agradecimentos. Creio que é o mínimo que podemos fazer para agradecer este Santo homem”, considerou Vera. Padre Albino fugiu de Portugal, pois a Revolução de 1910 expulsou os padres daquele país e ele, preso, foi condenado ao degredo na África. Chegou ao Brasil em 1912, com 30 anos, no Rio de Janeiro, e em seguida passou, como padre, por Jaboticabal, Jaú e Barra Bonita. Em 28 de abril de 1918 Padre Albino chegou a Catanduva, tornando-se um dos personagens mais marcantes da história do município e de sua população. As próximas atividades da programação são a abertura da exposição fotográfica “A vida e obra de Padre Albino” dia 10 de maio, na Pinacoteca Municipal, e a estreia para convidados da peça “Padre Albino: legado para uma cidade” no dia 11, no SESC Catanduva. A programação completa está em www.fundacaopadrealbino.org.br/100anos
Fundação Padre Albino
Publicado em 30/04/2018 por Mauro Assi

MISSA, NESTE SÁBADO, ABRE AS COMEMORAÇÕES DO CENTENÁRIO DA CHEGADA DE PADRE ALBINO

Com missa a partir das 10h00 deste sábado (28) na Igreja Matriz de São Domingos, a Fundação Padre Albino inicia a programação comemorativa dos 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva. A missa será celebrada pelo Bispo da Diocese, D. Otacílio Luziano da Silva, e terá a participação dos padres das paróquias de Catanduva e região e do coral do curso de Pedagogia da UNIFIPA, composto por 26 pessoas (13 alunos do 2º ano e 13 professores), com regência de Angélica Amêndola de Oliveira Silva e de César Augusto da Silva ao teclado. Padre Albino foi um homem arrojado e de visão. Nasceu em 21 de setembro de 1882, na aldeia de Codeçoso, Província do Minho, em Portugal. Foi ordenado sacerdote em 1905, na cidade de Braga, mas em 1910, com a Revolução e a expulsão dos padres jesuítas do país, decidiu sair daquele país. Depois de fugir para a Espanha, Padre Albino, através do vapor “Zelândia”, embarcou para o Brasil. Em 1912, com 30 anos, desembarcou no Rio de Janeiro e em seguida passou, como padre, por Jaboticabal, Jaú e Barra Bonita. Em 28 de abril de 1918 Padre Albino chegou a Catanduva, sem saber que se tornaria um dos personagens mais marcantes da história da história do município e de sua população. A população está convida a participar da celebração. Foto: Painel ao lado da Matriz convida a população a participar.
Fundação Padre Albino
Publicado em 27/04/2018 por Mauro Assi

100 ANOS DA CHEGADA DE PADRE ALBINO É TEMA DE ENTREVISTA EM PROGRAMA DE TEVÊ

O presidente da Diretoria Administrativa da Fundação, Dr. José Carlos Rodrigues Amarante, foi entrevistado no programa Paulinho Bauab sobre a programação elaborada para comemorar os 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva. O programa Paulinho Bauab é exibido diariamente pela Net Catanduva, canal 07, Nova TV e Net Rio Preto, canais 15, 26 e 526, além do canal no Youtube. A entrevista irá ao ar a partir da semana que vem. Na Net Catanduva é exibido três vezes ao dia e na Nova TV, às 14h00 e 22h00. Foto: Dr. Amarante, à esquerda, e Paulinho Bauab.
Fundação Padre Albino
Publicado em 25/04/2018 por Mauro Assi

FUNDAÇÃO APRESENTA PROGRAMAÇÃO COMEMORATIVA DOS 100 ANOS DA CHEGADA DE PADRE ALBINO A CATANDUVA

A Fundação Padre Albino reuniu na manhã do último dia 23 de abril seus membros conselheiros, autoridades e convidados para apresentar a programação especial elaborada para comemorar importante data para Catanduva e região: os 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva, que coincide com a comemoração dos 100 anos do município e os 50 anos da transformação da Associação Beneficente de Catanduva na Fundação Padre Albino. A programação, apresentada pela Profª Drª Silene Fontana, tem início neste sábado (28), com missa de abertura, às 10h00, Igreja Matriz de São Domingos, e será encerrada em dezembro, com gincana entre os Departamentos da Fundação. Durante esse período serão realizados muitos eventos e ações para marcar a data, entre eles: filme documentário; projeto mosaico; exposição de fotos; peça teatral com texto dos atores Carlinhos Rodrigues e Drika Vieira; ação nos bairros em parceria com a Prefeitura Municipal; campeonato de futebol society; show com Edson e Hudson, gratuito para funcionários celetistas e cobrança de ingresso e venda de mesa para o público externo; entrega de medalhas a funcionários; lançamento da atualização do livro sobre Padre Albino; congresso “Catanduva + 100: Prefeitura e Fundação Padre Albino pensando o futuro”; concursos de redação, de desenho e de curta metragem; inauguração do Serviço de Radioterapia/HCC e plantio de 100 mudas de ipês no entorno interno do Hospital Emílio Carlos. Toda a programação está no site específico dos 100 anos – www.fundacaopadrealbino.org.br/100anos Em seu discurso de encerramento, o presidente da Diretoria Administrativa da Fundação, José Carlos Rodrigues Amarante, disse que não teve a felicidade de conhecer pessoalmente Padre Albino, mas imaginava, pelos relatos dos historiadores e de pessoas que conviveram com ele, se aprovaria o que estava sendo feito e no decorrer dos próximos meses, justamente por ser avesso a homenagens e condecorações pessoais. “Creio que ele abriria uma exceção e nos perdoaria; afinal, não é todo dia que se comemora um centenário da chegada de uma pessoa que fez tanto por muitos”, ressaltou, acrescentando que “humilde que era, provavelmente dividiria as homenagens com outros, afirmando que tudo o que fez, não fez sozinho. Atitude digna dos grandes homens”. No entanto, Amarante frisou que não dá para negar que provavelmente nada teria acontecido se não fosse a sua liderança forte, autêntica e carismática. “Ouso dizer que Padre Albino foi a maior liderança em promoção social que Catanduva jamais teve; suas obras comprovam isso; elas dizem mais que qualquer palavra, por mais eloquente que seja”, salientou, emendando: “Sucessores do legado de Padre Albino, hoje representado pelo Conselho de Curadores, temos consciência de que recebemos uma dificílima missão: a de manter viva e atuante sua obra, sem poder contar com seu carisma e sua inquestionável liderança”. Amarante lembrou que a Fundação Padre Albino “é hoje uma das mais importantes instituições nas áreas da saúde, da educação e da assistência social na região, empregando diretamente mais de dois mil funcionários, atendendo mais de 300 mil pacientes por ano e proporcionando ensino de qualidade a mais de 2.000 alunos. “Sendo uma instituição filantrópica, ou seja, sem fins lucrativos, a Fundação, assim como as demais do seu gênero, apura déficits constantes nos seus departamentos de saúde e assistência social em razão do sub-financiamento da tabela SUS. Junto com suas congêneres, atende mais de 50% de toda a média e alta complexidade dos pacientes SUS”, informou, completando que nos últimos sete anos a Fundação bancou do próprio bolso mais de R$ 65 milhões para manter funcionando os dois hospitais e o Recanto Monsenhor Albino. “Padre Albino, certamente, ficaria estarrecido com essa cifra”, afirmou, mas continuou: “Felizmente, por ter sido um visionário e prevendo toda essa dificuldade, também nos legou outras fontes de recursos, que ajudam a cobrir esses déficits”. Citou que graças às atuações dos representantes de Catanduva junto ao legislativo federal e estadual, a Fundação Padre Albino tem conseguido importantes recursos para viabilizar projetos de expansão e melhorias. “Estamos próximos de implementar mais um importante passo, que vai beneficiar a população de toda a região no combate ao câncer. De onde quer que esteja, Padre Albino deve estar muito feliz com isso”. Disse da felicidade de estar comemorando os primeiros cem anos da grande obra de Padre Albino, iniciada com a sua chegada a Catanduva. Considerou que “um dia talvez as sociedades não precisem mais de instituições como a Fundação Padre Albino, mas isso só será realidade quando o Estado for competente para prover os cidadãos em suas necessidades básicas. Então, as filantrópicas terão cumprido seu papel. Porém, receio que este dia ainda esteja muito longe, o que exige de cada um de nós seguir o exemplo de Monsenhor Albino; não podemos esperar que outros façam por nós o que é de nossa responsabilidade”. Por fim, convidou a todos para participarem das atividades dos 100 anos. Além de Dr. Amarante, compareceram ao lançamento o Dr. Antonio Hercules, presidente do Conselho de Administração da Fundação Padre Albino; o prefeito Afonso Macchione Neto, secretários municipais, o deputado estadual Marco Vinholi (PSDB) e funcionários da instituição.
Fundação Padre Albino100 Anos Padre Albino
Publicado em 23/04/2018 por Mauro Assi

 

FUNDAÇÃO PADRE ALBINO
Rua dos Estudantes, 225
CEP 15809 144
Catanduva . SP
17 3311 3200 . Fax 17 3311 3201

100 ANOS PADRE ALBINO - FUNDAÇÃO PADRE ALBINO